The Brazilian Daily Artist

Saturday, August 11, 2012

Arte Descomplicada

Bem, parece que ao escrever um pequeno tópico sobre a arte contemporânea alguém se interessou e solicitou que eu concluísse o meu pensamento. Então, prossigamos:

Como disse, muitos debatem a arte contemporânea, porém, eu sempre defendi a opinião que, não há o que se debater sobre a arte. A arte é uma expressão livre do artista e aqueles que a observam, gostam ou não. Ares intelectualizados que só fazem dificultar o interesse geral pela cultura e pela arte distanciam o nosso principal alvo: o público e toda a forma de público. A arte é um bem universal. Não é feita para um seleto grupo...

Na vanguarda, o artista se sentia na necessidade de fazer uso de técnicas e métodos, de inventar novidade e de mostrar tecnologia para impressionar com seu trabalho. Felizmente, a ausência do 'novo', forçou o artista ao tradicional. Tenho visto galerias con trabalhos imensos, verdadeiros painéis, com técnicas mistas, colagens, reciclados, coloridos matemáticos e encalhados, pois não atingem a quem deve, o público. O público quer entender o que leva para a sua parede. Ele não está interessado em olhar para uma criação que só diz respeito ao artista...a menos que seja por puro investimento em algo que não diz nada, mas vale algum dinheiro.

Mas está aparecendo aos poucos uma volta ao tradicional. O artista contemporâneo está com outra mentalidade, está se libertando de certos conceitos...não é mais interessante a novidade comercial moderna. Não é mais interessante intrigar com significados. O importante é o que seu trabalho traz aos olhos e ao coração de quem vê, seja um homem de negócios ou uma dona-de-casa. A crítica da imagem pelos eruditos está se tornando cada vez mais dispensável. O artista passa para o seu trabalho o que ele quer, o que ele vê, o que ele sente de verdade e os que as pessoas gostam de ver. Muita pompa e tese, só serve para complicar e dar a arte uma colocação secundária da sociedade.


'Fog do Amanhecer'  _  acrílico sobre tela _ acrylic on canvas


(continua)

Monday, August 06, 2012

Fé e Força na aflição

Gosto de ler muitas coisas...passo horas lendo e separando o que acho bom e relevante e o que não acrescenta nada em particular ou no geral...estava há pouco lendo coisas e parei no link www.watchtower.org/t/20050801/article_02.htm e acabei lendo o artigo...e faz todo o sentido!

O primeiro passo para se conseguir qualquer coisa é se amar e acreditar que Deus nos ama. Quando nos amamos e estamos satisfeitos por não sermos alguém que seja omisso ao próximo, rancoroso, detentor das mágoas e ações do passado, é muito mais fácil entendermos que por isto somos merecedores de boas coisas e de equilibrio na vida. É importante ter auto-estima.

Já vivi muitas situações frente a pessoas que de tudo fizeram para abater-me...mas o que eu sentia sobre elas era justamente o que o tempo se encarregaria de me mostrar: estavam erradas a meu respeito, estavam sendo arbitrárias, estavam sendo o adversário que tudo faz para nos jogar no que faz qualquer um se tornar um perdedor: perder a auto-estima.

Este texto bíblico, Provérbios 17:22; 24:10, escrito pelo rei Salomão, filho de Davi e Batesebah diz:

_'Está desanimado no dia da aflição? Teu poder será escasso!' _ Examine o que este texto diz: "TEU PODER SERÀ ESCASSO."

O poder a que o texto se refere é o poder de lutar, provar a si e aos outros que é um vencedor! O poder que veio à Davi quando teve de enfrentar e vencer Goliah, o gigante filisteu. Foi o poder que a força ativa do Criador pôs nele, por esta razão, Davi que era menor em tamanho e força que o problema (no caso, Goliah) o venceu e o derrubou como um vencedor!

O poder de perceber que há uma força superior, o Deus que o(a) criou e que Ele pode sim, atender às suas necessidades desde que se esteja conectado à Ele, pelo pensamento e a na certeza de conseguir ajuda, que é o que conhecemos por FÉ!

Maravilhoso! Amai a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo, os dois maiores mandamentos. E amai a si mesmo, fruto que és da criação Divina.

Monday, July 30, 2012

E...


Lembro de ter explanado com um amigo em uma das ultimas Bienais de SP e com Carlos Von Schmidt, e ambos detestaram muitas coisas...e pensei o que é certo ou errado no contemporâneo? Não existe.
Segundo já se falou anteriormente, os desafios enfrentados pela arte contemporânea podem ser aferidos na produção artística internacional, alguns são favoráveis, outros a desprezam por não encontrar um sentido em muitas das obras. A arte passou a ser forma de, inclusive, ofender, atacar a alguém, um grupo ou uma idéia...

Em relação ao cenário brasileiro, as Bienais Internacionais de São Paulo ajudam a mapear as diversas soluções e propostas disponíveis nos últimos anos. Na década de 1980, a exposição Como Vai Você, Geração 80, no Parque Lage, Rio de Janeiro, e a participação dos artistas do Ateliê da Lapa e Casa 7 na Bienal Internacional de São Paulo, em 1985, evidenciam as pesquisas visuais...

(continua)...







Chuva em Desfile

'Desfile na Chuva'

Tuesday, July 03, 2012

Com todas as pétalas


'Visão que gosto de ter, sons que gosto de ouvir'


'A gueixa, o leque e o papagaio'


'Com todas as pétalas'


'Amizade na varanda _ Conversa tríplice'
 


'Lanterna Japonesa'
 

Saturday, June 16, 2012

A gueixa áurea



'A gueisha áurea'

Muitas gueixas já pintei, mas esta foi uma das que os que vêem meu blog sempre pedem, em cores diferentes, mas nesta posição. Esta, releitura de mim mesma, de uma pintura mais antiga, foi chamada de 'a gueixa áurea', porque foram usadas cores que retirei de uma pedra de cor-de-jade que fica sobre a minha mesa, onde se vê pequenos fragmentos cristalizados nos tons de amarelo dourado e azul...

Sunday, April 01, 2012

Dalartesa Falls

Cascatas, no Rio de Janeiro, têm, muitas. Lembro que na infância, havia uma na Quinta da Boa Vista. Localizada num dos bairros mais antigos do Rio de Janeiro, São Cristóvão. Este parque contém frondosas árvores, lagos e parque infantil. É neste parque que estão localizados o Museu Nacional e o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro,  onde meu avô me levava sempre e íamos a um restautante que ficava nas proximidades dela e podia-se ouvir o barulho das águas. Até hoje, quando fecho os olhos e medito, sou capaz de lembrar do ruído ensurdecedor dela.



'Delícia da Natureza'


'Abundância'

'Manto D'água'

Tuesday, March 06, 2012

Saturday, March 03, 2012

Tuesday, February 28, 2012

Nina e outros trabalhos


Composição com tela  'Cores do Sahara'

"Espevitadas" acrilico

Composição com Lâmpada _ acrílico



Nina - grafite

Monday, February 20, 2012

Frutas, café, veleiro e pote para abastecer!

Mesa de café


Maçã Apetitosa
Cerejas sob luz púrpura


O veleiro

Cereja reluzente

Precisa encher!!

O Campo de Lavandas

Campo de Lavandas
O cenário é diurno, mas a brisa e sensação de ar puro e fresco, me acometeu noites passadas, quando isto me fez lembrar as paisagens bucólicas européias onde o campo salpicado de lavandas cria um tapete lilás, púrpura e roxo que em contraste com o verde relva dá um efeito maravilhoso na paisagem!